Como usar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura

Como usar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura

A Realidade Virtual é uma tecnologia disponível, acessível e pode ser facilmente utilizada na apresentação de projetos de arquitetura.

Eu destaquei os 6 (seis) itens necessários para implementar a Realidade Virtual como ferramenta de apresentação de projetos.

Por que usar Realidade Virtual?

É difícil encontrar argumentos que justifiquem porque não usar a Realidade Virtual!

A tecnologia é de fácil acesso. Logo, não há restrição quanto ao uso da Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura.

Esse são alguns dos benefícios obtidos ao utilizar a tecnologia:

  • Aumenta a percepção de valor do projeto (por parte do cliente)
  • Facilita a apresentação colocando os clientes dentro do ambiente
  • Dá ao cliente a possibilidade de “entrar” no ambiente virtual, antes mesmo da execução da obra
  • Faz com que os clientes compreendam melhor cada detalhe do projeto
  • Reduz o tempo de aprovação dos projetos
  • Reduz o número de alterações nos projetos
  • Permite criar apresentações interativas
  • Permite atendimento remoto

A Realidade Virtual pode ser usada também em grandes construções. É uma ferramenta que permite o acompanhamento e revisão da obra.

Ela coloca todos os envolvidos “na mesma página” do projeto antes e durante a execução.

Ela melhora a integração e comunicação entre as pessoas e equipes: engenharia, arquitetura, segurança, comercial e marketing.

Porém, grande parte do mercado de arquitetura utiliza a tecnologia para contato mais próximos com os clientes.

É o caso das apresentações de projetos residenciais, comerciais, reformas, design de interiores, decoração ou móveis planejados.

Pensando em arquitetura, a Realidade Virtual pode ser usada para a apresentação à qualquer tipo de público.

Algumas vezes, esse público é técnico. Entretanto, na grande maioria das vezes, esse público é totalmente leigo.

Entendendo a Realidade Virtual

O uso da Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura depende 3 (três) pilares: Conteúdo Imersivo, Aplicativo VR e Óculos VR.

Todos estão em um mesmo nível de importância e a experiência de imersão é prejudicada caso um deles seja negligenciado.

Conteúdo imersivo

Independente da área de atuação, não é possível utilizar imagens convencionais (imagens planas) como conteúdo para Realidade Virtual.

No caso da arquitetura, é preciso que a renderização dos ambientes seja feita diretamente em 360.

Apenas o projeto 3D não consegue reproduzir uma visualização de boa qualidade.

A baixa resolução não permite ver os detalhes dos ambientes e acaba prejudicando a experiência de Realidade Virtual.

Veja abaixo a visão de um projeto 3D através de uma imagem 360 sem renderização.

imagem-360-projeto-sem-renderizacao

Agora, compare com essa outra imagem 360 renderizada em alta definição.

Percebeu a diferença de qualidade entre as duas?

Por isso indicamos o uso de imagens renderizadas em 360. Quando pensamos em Realidade Virtual, a qualidade da imagem faz diferença.

imagem-360-com-renderizacao-alta-qualidade

Uma resolução de 4096×2048 com 96dpi já gera um resultado excelente para visualização web, mobile e em Realidade Virtual.

Se você gerar as imagens em resolução maior, não há problema.

Entretanto, as telas de computadores e celulares possuem um limite de resolução, então você não precisa renderizar imagens excedendo esse limite.

[CLIQUE AQUI E VEJA ESSAS IMAGENS EM 360]

Aplicativo VR

Para que uma imagem 360 seja apresentada de modo interativo, é preciso utilizar um Aplicativo VR.

Assim como usamos o Word para abrir documentos textos, precisamos de um Aplicativo VR para abrir imagens 360 ou um Tour Virtual 360.

O Facebook é um exemplo!

Quando publicamos uma imagem 360, o Facebook entende que aquela imagem tem um formato esférico e exibe ela em forma de esfera.

Assim, é possível girar ela para todos os lados e ângulos. Veja esta publicação em nossa página.

Plataformas como o MeuPasseioVirtual permitem agrupar imagens 360, criando assim Tours Virtuais.

Desta forma, é possível navegar entre as imagens 360 de forma similar ao Google Street View (GSV).

Você cria os Tours Virtuais no MeuPasseioVirtual web e pode apresentar em Realidade Virtual através do aplicativo mobile (Android e iPhone).

[CLIQUE AQUI E VEJA UM EXEMPLO DE TOUR VIRTUAL]

Óculos VR

Os óculos de Realidade Virtual são responsáveis por transportar as pessoas para dentro do ambiente virtual!

Eles transmitem a sensação de estar fisicamente dentro do ambiente.

Esse é o principal motivo pelo qual faz todo sentido utilizar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura.

Vale lembra que, sozinhos, os óculos não fazem nada.

Eles precisam sempre do conteúdo imersivo (as imagens 360) e de um Aplicativo VR para transmitirem a experiência de imersão.

Em outro artigo, eu escrevi sobre alguns modelos de óculos de realidade virtual.

Como há vários modelos no mercado, é muito importante conhecer quais deles são os mais indicados para uso profissional.

Quando puder, confira ou pouco mais em Tudo sobre os melhores óculos de realidade virtual.

O preciso para usar Realidade Virtual?

De forma bem objetiva, para utilizar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura é necessário atender à 6 (seis) requisitos.

E o interessante é que, boa parte deles você já possui, talvez só não saiba disso.

1. Computador com placa de vídeo dedicada

Você precisa de um computador onde desenvolverá o projeto 3D e fará a renderização das imagens 360.

Com certeza você já possui um, certo? Então aqui o investimento é zero.

Uma loja com computadores profissionais de alto desempenho é a Avell.

2. Software de Modelagem 3D

Pode ser o Sketchup, 3D Studio Max, Revit, Promob, Rhino, Lumion, Maia, AutoCad…

Alguns são gratuitos e outros demandam aquisição de licença.

Você também já deve possuir um desses softwares, então aqui o investimento é zero.

3. Plugin de renderização

Um dos mais populares é o V-Ray, mas existem outros como o Corona, Kerkythea e Mental Ray.

Se você utiliza um software de modelagem 3D e renderiza imagens convencionais, então você também já tem um renderizador.

Aqui o investimento também é zero.

4. Render 360

É preciso configurar as propriedades do plugin de renderização que você usa.

Basicamente, é dizer que será capturada uma imagem 360 do ambiente.

É só uma questão de ajuste, não há investimento financeiro.

5. Aplicativo VR

Esse é um item que talvez necessite de algum investimento.

Você pode utilizar o MeuPasseioVirtual, que possui uma versão gratuita e planos que cabem em qualquer bolso.

Como você pode utilizar sem contratar um plano, não precisará de nenhum investimento.

6. Óculos VR

Acredito que esse seja o único item que realmente demande um investimento financeiro.

É possível gerar experiências de imersão muito boas utilizando óculos com valores inferiores a R$200,00.

Sugiro sempre o uso modelo Xiaomi VR Play 2. Ele é, com certeza, o que há de melhor no mercado pelo menor preço.

Por onde começar?

Não há nada de complexo no que envolve a Realidade Virtual. De certa forma, é só seguir o script.

Os 6 (seis) itens acima descrevem exatamente o que você precisa.

De tudo, a informação mais importante que você precisa ter em mente, é o funcionamento dos 3 (três) pilares da Realidade Virtual.

Para finalizar, montei um resumo prático do conteúdo desse artigo.

Para começar a utilizar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura, você precisa seguir apenas esses 6 (seis) passos:

Passo 1: Providenciar os equipamentos para criação dos projetos 3D e renderização das imagens 360 (talvez você já possua).

Passo 2: Adquirir um software de modelagem 3D (mas, talvez você também já possua).

Passo 3: Escolher um plugin de renderização que possa ser integrado ao seu software de modelagem 3D (talvez você também já possua)

Passo 4: Aplicar as configurações para renderização dos ambientes em 360 (há vários tutoriais na internet)

Passo 5: Contratar um Aplicativo VR para a criação dos Tours Virtuais 360 (pode começar com um gratuito, como o MeuPasseioVirtual)

Passo 6: Optar um modelo de Óculos VR que transmita aos seus clientes uma boa sensação de imersão virtual.

Finalizando…

Espero que essas informações lhe ajudem a implantar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura no seu escritório.

Grande abraço e até o próximo artigo!

Abraços!

Maicon Klug
contato@imersiovr.com

Um comentário sobre “Como usar a Realidade Virtual na apresentação de projetos de arquitetura

  1. As ciências mostram a utilidades das suas invenções. As vezes esses avanços atingem unicamente sectores muito particulares, como neste caso a arquitetura. Mais as possibilidades das câmaras modernas, das imagens, dos sistemas de impressão em 3D e dos sistemas de visão em general são muito mais largas. As vantagens são incontáveis pois, deste jeito, os modelos e modelizações são quase virtuais. Portanto, não precisam investimentos e vão evitar impactos ecológicos, ambientais, etc… Além disso, permitem poupar grandes quantidades de dinheiro que pode se destinar à outras necessidades. Os orçamentos públicos e privados podem se reduzir, no que diz respeito aos projetos arquitectónicos ou na engenharia, utilizando esse dinheiro para outros aspeitos da construção.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.